• Marketing de Produtos

Os críticos destrutivos passam. O resultado fica.

É massivo o número de empreendedores, inventores, exploradores que no meio da vibe da execução da ideia/ negócio/ produto se deparam com críticas destrutivas ou com bloqueadores profissionais dos planos alheios.


Em certa parte, é até compreensível pois para a maioria, o medo do fracasso é tão paralisante que acabam adotando o caminho mais confortável e conveniente da zona de conforto. O problema é quando além dos próprios sonhos, elas acreditam ter poder para ceifar o dos outros 🤦🏻‍♀️.


Mas felizmente a solução é bem simples: elimine as pessoas tóxicas do seu dia-a-dia. Atribua a elas a real importância e poder que elas possuem de acabar com um plano, ou sonho seu: nenhum poder. Nenhuma importância.


Uma vez que você corta esse contato que não é produtivo, sobre tempo para se relacionar com pessoas que mesmo que não apoiem 100% a ideia, poderão contribuir por meio de questionamentos práticos e construtivos, fazendo com que você refine a ideia, projete cenários, tenha novos insights enriquecedores.


Dito isso, quero trazer um exemplo prático. Em 2012, eu decidi compartilhar minhas vivências e conhecimentos com mais profissionais (principalmente os em início de carreira por meio de um livro.


Assim como tudo que me disponho a fazer, planejei, pesquisei e me desafiei ao máximo, naquela época, a fazer o melhor com o que eu sabia.


E então, eu escrevi um livro. (E já plantei uma árvore e já tive um filho também 😂).


A primeira sensação foi orgástica: vibração em todo o corpo ao saber que eu planejei algo desafiador para mim, que eu superei vergonhas e críticas destrutivas e, finalmente compartilhei o livro (de forma gratuita, pois o foco era empoderar mais gente).


Ao mesmo tempo em que recebi muitos retornos legais, também me deparei com chacotas, com desprezo e outras atitudes que talvez pudessem até me desviar do foco e do meu desejo de compartilhar. Mas por estar segura e determinada, mesmo sabendo que ninguém pudesse ler ou dar valor a tudo que eu fiz, as atitudes e comentarios negativos tiveram pouca relevância.


O ponto é: faz doze anos que me desafiei a escrever esse livro, o Mamãe quero ser CEO. E despretensiosamente acabei descobrindo o desempenho de consumo/ downloads dele.


O livro na Apple Store



E eu fiquei feliz. Descobri que de alguma forma ajudei mais de 900 pessoas.


Pode parecer um número irrisório para os dias digitais que vivemos.


Mas eu lhe pergunto: imagine se eu tivesse desistido em 2012. Será que eu teria achado algum outra maneira de ajudar 955 pessoas? De me desafiar e por um sonho para “rodar”? Ou ainda: de ver que eu fiz a melhor escolha para mim?



Mais de 900 downloads = poder ajudar mais de 900 pessoas ❤️


É por isso que eu quero compartilhar com você, leitor, um ponto importante: não subestime o seu potencial, não pare no primeiro ”não“ vindo de alguém que nunca ousou viver o que sonhou/ planejou.


É como diz uma citação de Theodore Roosevelt:


“Se fracassar, ao menos que fracasse ousando grandes feitos, de modo que a sua postura não seja nunca a dessas almas frias e tímidas que não conhecem nem a vitória nem a derrota.”


Os críticos destrutivos ficam pelo caminho, rodeado das suas limitações e ausência de coragem para se desafiarem. A sua chance de fazer a diferença e os resultados e impactos de tudo de bom que vem decorrente disso, ficarão para sempre!




Quem tiver curiosidade segue o link do livro na Apple Store: https://apple.co/2KqzAGE 😘

9 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

©2019 by Marketing de Produtos