• Marketing de Produtos

O que é marketing de produtos?

Trabalhar com marketing de produtos é incrível! É estar em contato com toda a empresa, é definir a estratégia desde antes do lançamento, é vibrar com a conquista de cada novo cliente, acompanhar o uso e sentir o impacto na vida de cada um dos usuários assim que eles realizam/ desfrutam da proposta de valor do produto/ serviço.


Digo apenas que é viciante.


Enquanto o gerente de produto é responsável por "disponibilizar o produto na prateleira" o marketing de produtos tem a incumbência de "tirá-lo de lá".


A missão desse profissional é: levar o produto/serviço para o mercado, com um posicionamento claro do que é e para quem é e, monitorando o uso e engajamento para que o cliente/ usuário desfrute de todo o potencial dele (produto).


Sua atuação percorre toda a linha do tempo do ciclo de vida de um produto e começa bem (bem antes mesmo) do lançamento dele e, trabalha de forma muito intensa principalmente com as áreas de: produtos, vendas e marketing. O marketing de produtos se tornou hiper-funcional.


Todo novo produto é uma escolha que envolve muitas apostas, principalmente financeiras e por isso, as etapas que ocorrem antes do lançamento são muito importantes.


Basicamente, nesse momento inicial, há uma forte interação com o Product Owner / Gerente do Produto. Juntos, avaliam a hipótese/ ideia do produto/ serviço a ser desenvolvido para responder uma importante pergunta: esse produto/ serviço resolve de fato um problema real? pois, sem a certeza de que há um problema que requeira uma solução e, que a sua ideia é uma alternativa para sanar esse obstáculo, todo o processo seguinte fica ameaçado.


Então, juntos compreendem o mercado, sua dinâmica, conversam com potenciais clientes, entendem a fundo a jornada dos entrevistados, quais tarefas acontecem no seu dia-a-dia, vai fundo atrás de informações de concorrentes, mapeia riscos, fica de olho nas tendências, analisa, estuda até que vire um expert nesse mercado.


Com o problema real definido, os esforços para fechar o que é a solução são iniciados e construção de um protótipo , que nada mais é do que a representação da interação do usuário com o produto/ serviço e foca em compreender os requisitos e funcionalidades mínimos estão presentes e se configuram de fato em solução para o problema inicial.


Do protótipo então haverá uma evolução para o MVP que nada mais é do que o conjunto de funcionalidades essenciais pelo qual os clientes pagarão no primeiro release.


Ponto de atenção: não é porque você domina o mercado que na construção de um produto você pode abstrair/ ignorar/ deixar de ter a interação e opinião dos clientes ou potenciais usuários.


Nesse momento, outra pergunta crucial é respondida: o produto é de fato a solução para o problema real?


Outras atividades fundamentais acontecem: a essência da mensagem do produto, benefícios, compreensão e proposta de preço, formas de comunicação e, também passam pela dinâmica de validação.


Ok, mas teste e validação até quando? Sean Ellis, CEO da GrowthHackers sugere que o market fit acontece quando ao menos 40% dos usuários do produto/ serviço afirmem que ficariam muito desapontados caso seu produto não existisse.


Até lá, muitos ciclos de testes acontecem. E não tem lugar para desânimo: é ir pra rua, validar, ajustar, ir para a rua e então, colher o resultados de um produto que terá maior aceitação pelo mercado. A pergunta fundamental dessa etapa é: o mercado irá comprar o meu produto para resolver o problema?


Dá-se início então à etapa bruta de lançamento. Esforços massivos para garantir que a estratégia definida para o produto, aconteça e isso envolve:

  • business design traz clareza da participação de cada equipe da empresa, processos, atividades críticas, compartilhamento de informações,etc

  • definição da estratégia de entrada no mercado, guardião do go to market

  • se haverá iniciativas de outbound marketing, linha de conteúdo para inbound marketing, requerendo assim, uma parceria grande com a equipe de marketing

  • acompanhamento de métricas como: MRR, ARR, churn, NPS, uso e engajamento

  • estratégia de preço

  • canais e distribuição

  • parcerias de negócio necessárias

  • dominar e evangelizar sobre o produto

  • distribuir informações relevantes sobre o produto para cada área mapeada no business design

e por aí vai...


Após o lançamento, monitora efetivamente o ciclo de vida do produto, acompanha adesão, lucratividade, feedbacks de usuários, concorrência, comportamentos de compra e uso, persona e, tudo mais de informação que permita a compreensão do seu produto no mercado.


Importante dizer, que o papel de marketing de produtos sofre uma influência do momento em que a empresa se encontra, complexidade do produto/serviço, estrutura organizacional, fazendo com que tenham algumas diferenças entre as responsabilidades de um lugar para outro.


É uma posição bastante dinâmica, lida com muitas equipes, precisa ser antenado no setor de atuação do produto, precisa ter boa habilidade de comunicação interpessoal, possui em conjunto com o P.O. uma grande responsabilidade e, vive constantemente com o prazer de ver estratégias se tornando realidade


Falei que era incrível, não é mesmo?


©2019 by Marketing de Produtos